terça-feira, março 06, 2007

O que motiva alguns cientistas?

Como é sabido, uma das polémicas, ou pseudo-polémicas, relacionada com o aquecimento global é a opinião da comunidade científica. Não se pode dizer que existe uma total unanimidade sobre este assunto, porque se não, a questão não fazia sentido: o que motiva alguns cientista?


O facto é que uma grande maioria dos cientistas apoia, fortemente, a possibilidade da intervenção humana no clima global. As alterações climáticas são muito complexas, munidas de muitas variáveis, e muitas delas difícil de simular, mas a acumulação de conhecimento nesta área permite, cada vez mais desenhar tendências.


E a tendência aponta para uma das principais as alterações climáticas: o Aquecimento Global, com origem, muito possivelmente, na emissão de Gases de Efeito de Estufa (GEE) antropogénica (humana).


Entre os principais GEE encontramos o CO2, não sendo o mais "forte GEE", é sem dúvida o mais produzido e com maior influência, representado cerca de 80% dos GEE. A fonte de aumento do CO2 é, comprovadamente, humana: queima de hidrocarbonetos e desflorestação.


A relação entre o CO2 e a temperatura da superfície terrestre, é mais complicada que a teoria simplificada do efeito de estufa: os raios de sol são "retidos" por uma atmosfera cada vez mais "densa", devido aos GEE, originado assim o Aquecimento Global.


Mesmo sendo complexa, inúmeros estudos e actividades científicas tentam encontrar correlações entre a variação do CO2 e a variação da temperatura da superfície da terra. Diversos estudos apontam para uma correlação muito directa: aumentos de CO2 na atmosfera, no passado, têm-se associado a aumentos de temperatura da superfície da Terra.


Os dados podem ser sempre questionados, mas a quantidade de e qualidade destes são cada vez menos incontornáveis, apontando para causas humanas nas Alterações Climáticas.


Mas, porque ainda existem "Velhos do Restelo" nesta problemática? Será que isto é tudo uma grande "teoria conspiração"? E quem ganha com isso?


Bom, talvez porque sempre existiram e sempre existirão "Velhos do Restelo".


Quem perde também é sabido: as grandes petrolíferas que não adeqúem os seus comportamentos no futuro, assim como alguns países e indivíduos, que controlam as reservas mundiais de hidrocarbonetos.


Alegações como a da falta de credibilidade dos cientistas do IPPC, de que criaram o mito climático para se sustentarem a si próprios são, do ponto de vista conspirativo, até peseudosustentadas, mas caem por terra devido a própria credibilidade e postura das pessoas que o fazem estes ataques.


Sem querer entrar em grandes polémicas, e tomando a via racional, haja ou não haja Aquecimento Global, o facto de tomarmos uma atitude de eficiência, diversificação e racionalidade energética, de sustentabilidade ambiental e de mitigação de emissões de GEE não irá afectar ninguém, a não ser os interessados em manter o statusquo da dependência/vício do Petróleo.


Por isso, os cientistas, que democraticamente, possam discordar de alguns resultados dos seus colegas, não deveriam estar focados na procura de soluções em vez de entrar em "guerras" e polémicas inúteis para a sociedade, para a economia, para o clima e para o ambiente?


Não se pretende um consenso total. De facto vivemos em democracia e discordar e felizmente possível, a 40 anos não podia-mos dizer o mesmo, mas a dispersão de sapiência não é benéfico para os problemas que podem ser causados pela "pegada humana".

19 comentários:

Anónimo disse...

Quantas toneladas de co2 foram produzidas para escrever este comentário!!!???

João F. Saraiva disse...

cerca de 0,009 KgCO2eq.

Anónimo disse...

O problema é que não são as energias renováveis que se perfilam para substituir os combustíveis fósseis (que de qualquer modo têm os dias contados), é o nuclear:
"...Realização de campanhas destinadas a fazer com que os políticos e o público compreendam a energia nuclear, agora que a maioria dos cientistas, dos políticos e dos cidadãos está cada vez mais convencida da existência de um aquecimento global, causado pelas emissões de carbono provenientes dos combustíveis fósseis, e de que a energia nuclear é uma componente essencial do cabaz energético necessário para responder às necessidades energéticas mundiais isentas de emissões de dióxido de carbono."
( Texto aprovado pelo Parlamento Europeu )

Netwalker disse...

Caro sr. João f.silva, constato após alguma pesquisa que não existem cursos vocacionados para tecnicos de base/intermédios (9º-12º) em energias renovaveis/alternativas!
Para um desempregado que queira orientar formação para esta area, onde deve recorrer?

netwalker disse...

Desculpe o lapso anterior, deve ler-se João F. Saraiva!

João F. Saraiva disse...

Resposta ao Anonymous:

Nuclear é só uma "eventual" parcela, que cada país deverá optar ou não:

"Proposed EU Energy Policy - Targets and Objectives



Reducing greenhouse gas emissions from developed countries by 30% by 2020

Improving energy efficiency by 20% by 2020
-

Raising the share of renewable energy to 20% by 2020

Increasing the level of biofuels in transport fuel to 10% by 2020"
http://ec.europa.eu/energy/energy_policy/index_en.htm

as renováveis são outra das componentes mais importantes.

João F. Saraiva disse...

Formação em Energia Solar:

http://www.isq.pt/formacao/catform2007/oeiras/index.html

jf

Oscar disse...

Discordo de algumas coisas.
As grandes petroliferas não perdem nada com esta teoria, porque aquilo que chamam de alternativas, além de serem realizadas com muito petróleo, são geralmente tão alternativas tais como 5 é alternativa de 100.

Oscar disse...

Mais discordancias:
Os interessados em manter o vicio do petróleo são... quase toda a gente (que eu conheço). Os que se queixam do clima, parecem ser os que mais gostam de andar de avião.
Toda a sociedade está montada para o crescimento (de pessoas, bens e e gastos de energia) e tem á cabeça economistas. Basta pensar nas seguintes implicações, supondo um "regime" estacionário:
Sociedade sem crescimento -> sociedade sem juros ->
fim dos bancos (como os actuais).

Joao Soares disse...

Viva
Desconhecia o V/ blogue.
Sejam bem-vindos ao BioTerra.
Cumprimentos

Bartolomeu disse...

É claro que o objectivo de propostas como as já indicadas em comentários anteriores têm por objectivo a criação de uma alternativa sustentável ao uso exacerbado de petróleo que temos actualmente, contudo, nunca se fala na busca da "extinção" do uso do petróleo ou o seu uso em alguma escala, até porque seria pura utopia.

É claro que estas são áreas muito sensíveis, uma vez que, como disse o senhor oscar, todos nós nos encontramos envolvidos nessa sociedade do "petróleo".

Contudo, penso eu, o consumo em menor quantidade do petróleo (e volto a dizer não a sua extinção), levaria a que se pudessem manter certas áreas para as quais não existe alternativa possível (o que não acontece em grande parte em termos energéticos) e reduzir noutras, encontrando alternativas sustentáveis, onde a face mais visível são as energias renováveis.

Mais uma vez parabéns pelo blog e convido a todos a visitarem o meu blog:

http://o-oraculo.blogspot.com/

Cumprimentos a todos.

Anónimo disse...

olá eu sou a Mariana e venho só dizer que este site está muito bem constituído pois eu estou a fazer um trabalho sobre energias renováveis e este site está sempre como os favoritos.
eu posso encontrar de tudo aqui, o que me facilita o trabalho e também gostei da maneira como aqui se interpretam as coisas.
eu so 100% contra as energias NÃO RENOVÁVEIS e espero que com este site as pessoas tenham mais consciência do que estão a fazer ao planeta Terra.
obrigada e continuem

Anónimo disse...

Boas

Mariana,

Partilho plenamente a sua ideia acerca do site a nível de construção e de aspecto, bem como do blog opinião onde já deixei vários comentários, porque vejo neste espaço um local aberto a novas ideias e opiniões.

Em relação à sua opinião sobre as energias não renováveis não podemos ser assim tão drásticos, como decerto compreenderá.

Vejamos que se todos pensássemos assim o que gastariamos em recursos não renováveis para podermos viver apenas das energias renováveis seria uma completa falta de sensibilidade para com a regeneração dos ditos recursos.

Não se esqueça que muitas das matérias primas utilizadas na produção de mecanismos para produção de energias renováveis provêm de recursos limitados tal como o petróleo ou o carvão.

Concordo com a ideia de que devemos ter cada vez mais uma mentalidade de protecção ambiental elevada e cada vez mais cultivada, porém não nos esqueçamos que nada neste mundo pode ser feito sem um efeito secundário.

Continuação de um bom trabalho e boa pesquisa.

LRNM

Anónimo disse...

olá,eu sei que muitas das nossas utilidades são feitas de energias não renováveis, mas temos que deixar de depender delas.
e apostar mais nas energias renováveis,pois é o futuro dos nossos filhos que está em risco.
bom mas obrigada pela sua opinião.

Anónimo disse...

Caro Sr.

Gostaria de dizer que o funcionamento da actividade científica não é uma questão de democracia. Existe bastante literatura a este respeito, em geral sob o título "epistemologia da ciência". Em termos gerais a divergência pessoal de cientistas é útil ao devabte científico mas o paradigma corrente só é substituído quando há evidência científica acumuladas e uma teoria que possa ser testada e tenha resultados melhores que a precedente. Não é o caso com o aquecimento global, não há qualquer teoria alternativa ao aumento do efeito de estufa + outros efeitos astronómicos conhecidos (ver IV Assessment Report do IPCC) que explique melhor os dados no seu conjunto. De maneira nenhuma se trata de uma questão de democracia.

Anónimo disse...

Sou inventor, a atravessar um grande deserto esperando que não seja do tamanho do mundo inteiro, de um sistema que gera energia a partir das fontes de energia renovével do vento, sol, ondas e correntes marítimas (patente nacional nº 103515) que pode competir directamente com as centrais convencionais. Sendo uma solução para o problema e para afastar a perigosa tentação da opção do nuclear.
http:multilink.com.sapo.pt/30/
fp.pereira2006@gmail.com
Fernando Pereira

Eduard Joseph disse...

Olá, quero primeiramente comentar ao Sr. NetWalker, que existem sim cursos em energias renováveis, eu sou uma das porvas disso, sou aluno do curso de engenharia em energia e desenvolvimento sustentável, que tem como princípio básico geração de energia de forma "limpa".

A respeito da troca futura de combustíveis finitos,entre eles o petróleo e o carvão mineral, vejo essa troca mais breve que os senhores possam imaginar. Eu, residente no Brasil, ando com um carro movido a alcool, tenho em minha casa, cerca de 80% da eletricidade proveniente de fonte renovável, em minha cidade, utiliza-se o biogás, para geração de eletricidade. deixando de emitir metano que é cerca de 21 vezes mais poluente que o próprio dióxido de carbono.

Gostaria de relembrar o texto que foi a base desse forum, "não deveriam estar focados na procura de soluções em vez de entrar em "guerras" e polémicas inúteis para a sociedade"

Obrigado...

Estou lançando um blog sobre energia, é recente, mais logo completarei ele mais...

http://omundodasenergias.blogspot.com/

EcoTretas disse...

O que motiva: Fácil. Se escreves um paper a favor, tens um bom paper. Se escreves contra, estás tramado... Se escreves papers bons sobes na carreira... Consegues perceber o que acontece a quem escreve contra???
http://ecotretas.blogspot.com/

Anónimo disse...

mmm...Não será a Desflorestação do Planeta um problema ainda mais grave?!!.mmm...Co2...mmm...Um grande negócio?!mmm..Um soalho de Madeira exótica, tipo Jotobá.

"Nos quartos, os roupeiros encastrados em madeira lacada, a cor clara e pavimento em madeira Jatobá, proporcionam o conforto desejado.

Na sala e hall, são compostos por pavimentos em madeira Jatobá, tectos falsos com iluminação embutida e revestimento de algumas paredes a vidro escuro, são exemplos de bom gosto e sobriedade.

A madeira Jotobá tem origem na América Central, desde a Amazónia até São Paulo.Pois é?!Sabem qual a pecentagem diária de desflorestação da amazónia? Ivestigem, vão-se assutar.

Então e a madeira reciclada ou outras alternativas.Fica feio não é?!

E o avanço para norte do deserto Sara!? E a falta de Água potável?

A Desinformação é tal que me assuta.