segunda-feira, dezembro 07, 2009

Copenhaga hoje!

Passados mais de 10 anos da conferência em Quioto que deu origem ao famoso Protocolo de Quioto (PQ), hoje começa em Copenhaga uma das mais importantes conferências globais da última década, o COP15. http://unfccc.int/

Nesta cidade Dinamarquesa os grandes poluidores do mundo vão decidir o que fazer depois do Protocolo de Quito que acaba em 2012.

Os Estados Unidos parece que desta vez vão tentar uma estratégia nova, em vez de negar e contrariar, tentarão encontrar soluções. A expectativa é muito elevada, uma vez que está em jogo um acordo que possa minimizar as consequências (im+previsíveis) das emissões dos Gases de Efeito de Estufa.

Ao lado dos antigos grandes poluentes, surgem países como a China e Índia, que muito em breve passaram ao topo da lista de produtores de GEE, sendo que no PQ não tinham nenhum limite a cumprir devido à sua condição de pais em vias de desenvolvimento. Aliás este ponto foi sempre um dos mais controversos do PQ, uma vez que alguns países como os Estados Unidos e Austrália usavam a questão da “concorrência desleal” como desculpa para a não assinatura do PQ.

No entanto no próximo acordo, estes países não irão ficar de fora, uma vez que o seu peso nas emissões de GEE passou a ser bastante considerável nos últimos 10 anos, e sem esforços de mitigação por parte dos mesmos será muito difícil chegar a algum acordo. Aqui poderá residir o grande problema: dinheiro!

Os países em vias de desenvolvimento, mas com emissões de GEE significativas, exigem ajudas financeiras e transferência de tecnologia, isto somado ao esforço que cada país, dito desenvolvido, deverá fazer e numa altura de crise económica mundial não parece ser nada fácil.

Sendo que a própria crise económica é, pelas piores razões, uma acção mitigadora das emissões de GEE, a mesma não pode servir de entrave para um problema que não é de curto ou médio prazo, e que é estrutural e não conjuntural.

Independentemente do resultado, será importante que exista claramente um novo caminho e meios para o percorrer, no sentido de poder dar continuidade e melhorar o actual mecanismo de controlo das emissões de GEE e minimizar eventuais consequências das Alterações Climáticas.

Resumidamente: entendam-se para o bem da humanidade!

JF

2 comentários:

Tomás Manarte disse...

Pelos visto é mais cada pais por si!

Parecem os Miúdos quando se chateiam a jogar ao berlinde, e discutem sem razão.

João F. Saraiva disse...

infelizmente parece que sim...

Para o ano há +